(64) 9 9989 9911

NO AR

Kativa FM \"Essa Rádio é Sua\"

kativa.fm.br

História

Quanto da tradição viking é verdade?

Os arqueólogos confirmaram detalhes importantes das histórias orais nórdicas – mas não as que falam sobre dragões, elfos e trolls.

Publicada em 07/02/24 às 14:14h - 23 visualizações

por Kativa FM \\ National Geographic


Compartilhe
 

Link da Notícia:

Aqui, uma réplica de um antigo barco viking flutua em um lago norueguês. FOTO DE JIM RICHARDSON, NAT GEO IMAGE COLLECTION  (Foto: Kativa FM \\ National Geographic)

Em séries de tv e filmes, os desertos gelados do norte são o pano de fundo de histórias dramáticas, muitas vezes violentas, de reis e guerreirosdragões e trolls. A fonte de muitos desses dramas são as sagas nórdicas da mitologia dos vikings

Em seu novo livro, “Beyond the Northlands: Viking Voyages and the Old Norse Sagas”, a historiadora britânica Eleanor Rosamund Barraclough explora o mundo das sagas, separando os fatos da ficção para mostrar que os povos nórdicos eram muito mais do que violência e assaltos.

Falando de sua casa em Durham, na Inglaterra, ela explica como os Estados Unidos deveriam realmente celebrar Leifo Afortunado, e não Cristovão Colombo, por que os soviéticos odiavam a ideia de que a Rússia havia sido fundada pelos vikings e como a terrível tortura viking conhecida como “Águia de Sangue” pode ter sido mais um conceito poético do que uma prática histórica.

02-book-talk-vikingsCapa do livro “Beyond the Northlands”, de Eleonor Rosamund Barraclough, cedida pela Oxford University Press.

FOTO DE OXFORD UNIVERSITY PRESS

Você escreveu: "Os vikings sempre tiveram a reputação de serem os bad boys do mundo medieval". Está na hora de repensar esse preconceito?

ideia de que os vikings eram os bad boys do mundo medieval remonta justamente à Idade Média. O primeiro grande ataque viking ocorreu por volta de 793 d.C. na ilha de Lindisfarne, onde se encontram os Evangelhos de Lindisfarne. Mas é importante pensar em como sabemos dessa invasão – pela Crônica Anglo-Saxônica, que foi escrita cem anos depois, na época do Rei Alfredo, que conhecemos como um defensor dos vikings. 

Mais ou menos na mesma época, um clérigo anglo-saxão muito devoto da corte do rei Carlos Magno, chamado Alcuin, escreveu uma carta ao abade de Lindisfarne, dizendo: "Nunca antes um terror apareceu em nossas costas como este. Lembre-se das palavras dos profetas: do norte, o mal irrompe". Portanto, desde o início, temos a ideia de que os invasores vikings são, de alguma forma, a punição de Deus pelos pecados cometidos.

Quando dizemos "vikings", pensamos em qualquer habitante do mundo nórdico medieval. Mas viking significa literalmente invasor; é um título de trabalho. As pessoas que viviam no mundo nórdico durante a era viking faziam incursões e pilhagens. Mas eles eram muito mais do que isso. Eles eram viajantes de longo alcance. Eles colonizaram o Atlântico Nortepartes das Ilhas Escocesas e a Islândia. Eles estão na Escandinávia ártica e nas vias fluviais russas. Fundaram uma colônia na Groenlândia que durou 500 anos e chegou até a borda da América do Norte.

Cristóvão Colombo é celebrado como a pessoa que "descobriu" a América. Mas as sagas nórdicas sugerem que os americanos deveriam, na verdade, comemorar o dia de Erik, o Vermelho. Você concorda?

Bem, talvez Leifo sortudo, que é filho de Eriko Vermelho. A Groenlândia foi colonizada por volta de 985 d.C., inicialmente por Erik, o Vermelho. Sabemos disso em parte por causa das Sagas da Vinlândia, duas sagas islandesas chamadas Saga de Erik, o Vermelho, e Saga dos Groenlandeses. Essas mesmas sagas são nossos principais relatos escritos de como os nórdicos da Groenlândia, uma geração depois de Erik, o Vermelho, partiram da Groenlândia e chegaram à borda da América do Norte. Primeiro a Ilha de Baffin, depois Labrador – que eles chamavam de Markland, "terra da floresta" – e, finalmente, Terra Nova.

Mas até a década de 1960, as Sagas da Vinlândia eram nossa única fonte de informações sobre essas viagens. As pessoas nem sequer tinham certeza de que elas realmente haviam acontecido. Então, nos anos 1960, escavações na ponta de Newfoundland, em L'Ans-Aux-Meadows, no Canadá, mostraram evidências claras de que houve visitantes nórdicos. Eu não diria colonos. Há casas compridas, mas elas parecem ser mais locais de invernada, onde eles podiam consertar seus navios e depois seguir para o sul. Também havia mulheres nessas viagens. Em uma saga, diz-se que uma mulher teve um filho lá, o que a tornou a primeira mulher europeia a dar à luz no continente norte-americano.

O que é interessante é que, no passado, mesmo antes das evidências arqueológicas, os norte-americanos estavam muito interessados nessa herança viking. No final do século 19, havia muitas pinturas que mostravam grandes e românticos nórdicos atravessando o país em seus barcos. Mas também encontramos muitas falsificações, pois se não conseguimos encontrar um passado, então o criamos. Havia pedras rúnicas falsas desenterradas em um campo de Minnesota, armas falsas e, é claro, a famosa falsificação do Mapa da Vinlândia.

Em seu livro, você chama as sagas de "o legado inigualável da Islândia Medieval para o mundo". Elas são fato ou ficção?

As sagas foram escritas na Islândia do século 13 e continuaram a ser escritas e copiadas em manuscritos. De certa forma, o período medieval não terminou na Islândia até o século 20. Saga vem da palavra nórdica sayer, que significa "dizer". Isso dá uma pista sobre as origens dessas sagas. Elas não foram simplesmente inventadas da cabeça de algum escriba no século 13 e depois escritas. 

Elas tinham uma longa história oral que remontava há séculos passados. São histórias contadas e recontadas, passadas de geração em geração. Mas isso não as torna fatos puros. As histórias mudam, adaptam-se, são embelezadas, os fatos são omitidosinformações são acrescentadas. Assim, quando elas são escritas, é muito difícil separar os fatos da ficção.

03-book-talk-vikingsUma estátua de Leif Erikson está diante da Igreja Hallgrimskirkja em Reykjavik, capital da Islândia. Acredita-se que o viking tenha chegado às Américas cinco séculos antes de Colombo.

FOTO DE JON BOWER ICELANDALAMY STOCK PHOTO

Trolls e anões nos são familiares do público por conta de várias séries e filmes famosos. Os dragões também sempre tiveram grande destaque na ficção. As sagas estão cheias deles, não é mesmo?

Os dragões aparecem de fato nas sagas nórdicas, mas as sagas também podem ser bastante realistas. Nem todas as sagas são repletas de dragões e elfos. Mas o interessante é que eles eram claramente vistos como parte da visão de mundo dos nórdicos. Quando eles aparecem, não são vistos como necessariamente fantásticos. Você pode ter um episódio normal de uma saga, em que alguém está tendo um sonho ou vagando por uma montanha, e de repente uma criatura aparece. A ideia de trolls à espreita do lado de fora, no limite de sua visão periférica, é comum.

extremo norte sempre teve associações sobrenaturais e até mesmo diabólicas, desde a Bíblia. Vemos isso na visão de mundo anglo-saxônica, até o século 19 e a história da “Rainha da Neve”, de Hans Christian Andersen. Quanto mais ao norte você vai, mais inóspita se torna a paisagem. Há montanhas e fendas profundas, estranhas formações rochosas. Assim, fica mais fácil imaginar nessas partes desumanas do mundo que as únicas coisas que poderiam viver nelas seriam elas mesmas desumanas, como os trolls.

Uma das surpresas de seu livro é que os vikings também viajaram para o leste e para o exterior, para o que hoje é a Rússia. Conte-nos sobre essas viagens e por que os soviéticos minimizaram a conexão com os vikings?

O ímpeto inicial para entrar na Rússia a partir do mundo nórdico veio dos povos voltados para o leste: em particular, os suecos. Eles cruzaram o Báltico e seguiram pelas vias fluviais russas. Se você quiser saber para onde os nórdicos vãosiga o dinheiro. [Risos] Há enormes quantidades de prata islâmica fluindo para cima e para baixo nos canais durante a Idade Média, e os nórdicos estão seguindo isso. Eles também estão trazendo seus próprios produtos para o comércio, como peles e couros, que alcançavam um preço muito alto. E estão trazendo pessoas escravizadas, o que é outra razão pela qual temos todas essas invasões e violência.

A palavra "Rússia" parece ser derivada do termo Rus, que, pelo menos em sua origem, parece ter vindo da Suécia ou de alguma parte do mundo nórdico. Essas tribos nórdicas fundaram Kiev e criaram a política que ficou conhecida como Rus de Kiev, a base da atual Rússia, Belarus e Ucrânia. Mas durante a era soviética, não era bom sair por aí dizendo que sua nação fundadora havia sido construída por europeus. Você queria que ela fosse construída pelos eslavos, seu próprio povo, em oposição à Europa. Mas se você observar as primeiras camadas arqueológicas de cidades comerciais, como Staraya Ladoga, no extremo norte, há claramente elementos nórdicos.

04-book-talk-vikingsOs vikings viajaram muito, da Rússia à América do Norte, mas provavelmente não chegaram à Petersburg, no Alasca (Estados Unidos), onde esta réplica de navio viking celebra a herança norueguesa da cidade.

FOTO DE MACDUFF EVERTONNAT GEO IMAGE COLLECTION

Há um cena horrível em uma série sobre vikings em que o personagem principal, Ragnar Lothbrok, que é uma figura histórica real, submete um de seus inimigos a uma tortura conhecida como “Águia de Sangue”. O que é isso? Realmente existiu? 

A “Águia de Sangue” era uma forma particularmente horrível de tortura e morte, em que você cortava a coluna vertebral da vítima, pegava a caixa torácica e a puxava para trás, depois arrancava os pulmões, que pareciam um par de asas de águia. Os acadêmicos discutem se isso realmente aconteceu, pois a fonte original de evidências são alguns versos skáldicos. Um skald é um poeta nórdico, portanto, os versos skaldic são escritos por poetas nórdicos, geralmente um poeta da corte.

Uma das características de um poema skáldico é que ele é incrivelmente complicado, como um jogo de palavras cruzadas enigmáticas. Se houver uma referência ao que parece ser a Águia de Sangue em um verso skáldico, é bem provável que se trate de um conceito poético. Roberta Frank, da Universidade de Yale, argumenta que a Águia de Sangue é apenas a ideia de um pássaro carnívoro arranhando as costas dos mortos. Se você cria muitos cadáveres, você é um guerreiro muito bom. É a isso que estamos nos referindo. Mas quando escritores posteriores criaram histórias em prosa em torno desses versos skaldic, eles parecem ter interpretado literalmente. Portanto, é bem provável que não existisse essa forma horrível de tortura, mas ela cresceu na narrativa.

Você é uma acadêmica, mas definitivamente deixou sua torre de marfim para pesquisar este livro. Fale sobre alguns dos destaques de suas viagens e como o trabalho nesse livro mudou sua visão dos vikings.

Não sou muito fã da torre de marfim. Acho as bibliotecas chatas [risos]. Portanto, ir para a Groenlândia foi parte do motivo pelo qual eu quis escrever o livro. Estive lá durante dois verões. No primeiro verão, fui no lombo de um pônei islandês com uma guia, que era uma mulher incrível, do tipo pioneira. Caminhamos de ruína nórdica em ruína nórdica, hospedando-nos em fazendas da Groenlândia, que geralmente ficavam no mesmo lugar das ruínas nórdicas. Mais tarde, peguei uma balsa de três dias e subi a costa, passando pelo Círculo Polar Ártico, até um lugar chamado Ilulissat, que é um Patrimônio Mundial da Unesco porque está cheio de icebergs. Pode até ser o fiorde onde surgiu o iceberg que afundou o Titanic.

Na Groenlândia, eu estava vendo as evidências arqueológicas da visão de mundo que obtive das sagas: as fazendas descritas em algumas das sagas, o fiorde onde Erik, o Vermelhomorava. Fiquei hospedado bem ao lado de sua fazenda! Acima de tudo, isso me deu uma noção de como essas pessoas eram extraordinárias; o quão longe elas iam; o quão perigoso era; o quão intrépidos e corajosos eles eram para ir até o limite.

Esta entrevista foi editada para maior extensão e clareza.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

ESTA RÁDIO É SUA

(64) 3631- 1392

Copyright (c) 2024 - Kativa FM \"Essa Rádio é Sua\" - Jataí - GO