(64) 9 9989 9911

NO AR

Pediu Tocou da Manhã

Com Teo Moraes

Mundo

Javier Milei diz que levará até 2 anos para controlar inflação e reafirma plano de fechar BC

Presidente eleito afirmou ainda que não deve retirar restrições à compra de dólares de imediato

Publicada em 20/11/23 às 10:17h - 30 visualizações

por Kativa FM \\ Exame


Compartilhe
 

Link da Notícia:

Javier Milei, novo presidente da Argentina eleito neste domingo, 19 (Luis Robayo/AFP)  (Foto: Kativa FM \\ Exame)

Javier Mileipresidente eleito da Argentina, disse na manhã desta segunda, 20, que levará tempo para conseguir conter a alta inflação no país e para fazer mudanças nas regras cambiais.

"Se você cortar hoje a emissão monetária, demora entre 18 e 24 meses para levar [a inflação] aos níveis mais baixos internacionais", disse Milei, em entrevista à rádio Continental. Em outubro, a taxa de inflação em 12 meses superou 140%, maior número desde os anos 1990.

Sobre as medidas de restrição à compra de dólares, apelidadas de "cepo", Milei disse que elas devem seguir por mais algum tempo. "Antes de abrir o cepo, tem que resolver o problema das Leliqs. Vamos a tratar de fazê-lo o mais rápido possíveil, porque se não a sombra da hiperinflação vai estar em todo o momento", disse.

As Leliqs são títulos do Banco Central, usados para retirar pesos da economia, e que se tornaram um problema na Argentina, pois aumentaram em muito a dívida do governo.

Milei reafirmou que pretende acabar com o Banco Central e dolarizar a economia. "Fechar o Banco Central é uma obrigação moral. Dolarizar é para se tirar de cima do Banco Central. Propomos que a moeda seja a que os indivíduos escolham", afirmou. O novo presidente defende abandonar o peso, e liberar as regras da economia para que qualquer moeda possa ser utilizada nas transações.

O primeiro dia de Milei como presidente eleito

Nesta segunda, 20, Milei terá uma reunião com o atual presidente, Alberto Fernández, para começar a tratar da transição. O encontro está previsto para o meio-dia.

O mercado financeiro está fechado na Argentina nesta segunda, por ser um feriado nacional. Assim, os efeitos da eleição no setor devem ser ficar mais claros só na terça-feira, 21.

Massa fica ou sai do governo?

Uma das grandes questões desta segunda é se Sergio Massa, derrotado nas urnas por Milei, deixará o cargo de ministro da Economia de forma imediata ou se fica na função até a posse do rival, em 10 de dezembro.

Em seu discurso de derrota, no domingo, Massa disse que a responsabilidade sobre a economia caberia ao presidente eleito "a partir de amanhã", o que foi interpretado como um possível sinal de renúncia.

Segundo o jornal Clarín, Massa deve decidir o que fazer após a reunião entre Milei e Fernández. Na entrevista à rádio, o novo presidente defendeu que Massa fique até a transição. "Seria uma irresponsabilidade Massa se retirar, depois do desastre que fez", afirmou.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








.

ESTA RÁDIO É SUA

(64) 3631- 1392

Copyright (c) 2024 - Kativa FM \"Essa Rádio é Sua\" - Jataí - GO